Beco Diagonal ― do seu jeito sempre
Progressivo e retrógado


Sim, sim. O terceiro filme está na porta dos cinemas, só esperando chegar sua hora de entrar e ser exibido nas telonas do mundo todo, quase que simultaneamente. O primeiro dos quatro filmes a ser dirigido por um diretor decente (sim, eu disse quatro, Mike Newell não é decente, é decadente) será, sem sombras de dúvida, o melhor e o que causará maior impacto na mídia. <br />
Harry Potter é uma saga infantil e bobinha até o segundo livro. Começa a sair do infanto e entrar realmente no juvenil apenas a partir do terceiro livro. Harry depara com traições, morte, tensão, medo e finalmente, a morte de seus pais. Não que ele não tenha feito isso antes. Ele fez, sim. Mas fez de uma forma infantil, que não causam no leitor aquele estado de petrificação que só é abandonado no momento de virar a página do livro. Se nos livros isso foi mostrado de forma infantil, nos filmes então, sob o comando do péssimo Chris Columbus, ficou por que Tom & Jerry. Sempre que eu falo mal de Columbus, sou xingado, criticado e odiado, é o preço a se pagar pela verdade. Columbus abandonou praticamente tudo o que torna o livro tão legal e focou-se apenas em contar a história de um garotinho que só usava roupas opacas e se tornou uma celebridade da noite para o dia. Para o diretor, o que acontecia ao redor de Harry não parecia interessante. Em momento algum, no primeiro ou no segundo filme, Harry foi mostrado sendo isolado de seus colegas em Hogwarts, ou sendo realmente ridicularizado por Draco Malfoy, e essas são as partes que mais fazem o leitor se apegar a personagem. <br />
Além disso, existem alguns fatores que eu já havia apontado em "As Calças de Hermione", minha coluna em que eu mais protegi Cuarón (o diretor do terceiro filme) e critiquei Columbus, mas é sempre bom repetir alguns deles de vez em quando. <br />
Não faltaram críticas a Cuarón quando Hermione apareceu de calças jeans em Hogwarts. "Onde estão as vestes de Hogwarts?" diziam uns. "Isso é roupa de trouxa", diziam outros. O que ninguém se deu conta, é que Hermione não precisa usar as vestes sempre. Qual é o aluno que após o colégio, vai para casa, almoça, toma banho, põe o uniforme de novo e vai para o shopping, por exemplo? A maior crítica feita as calças, era que elas não faziam parte do mundo bruxo. O gel de cabelo de Draco Malfoy, dos dois primeiros filmes, por acaso faz? <br />
Cuarón criou um mundo novo para os filmes, muito mais belo e "real". Arrisco dizer ainda, que como a base de tudo já estava criada, o mundo que será visto nos filmes será ainda mais detalhista que aquele visto anteriormente nos livros. Cuarón é um dos diretores mais cuidadosos da atualidade. Dói no coração saber que o quarto filme, que todos sabem precisar de um diretor no mínimo razoável, não será dirigido por ele e sim por Mike Newell, diretor de, por exemplo, O Sorriso de Mona Lisa, e que entre outras besteiras já afirmou que não pode decepcionar "as milhões de crianças de 10 anos que são fãs de Harry Potter". Bom, quando o quarto filme for lançado eu terei 17, no mínimo. Todos os visitantes com quem tenho contato terão, na pior das hipóteses, 14 anos. <br />
O rumo que os filmes estão tomando, obviamente não agradam ninguém. Tenho na minha cabeça a esperança de que após todos os executivos da Warner virem que HP4 ficou horrível, eles talvez chamem Cuarón de novo para dirigir o quinto (e esse, acima de todos, precisa de um bom diretor). O problema grande é que a Warner nunca quis levar a sério os filmes de Harry Potter. Contrataram os produtores, o diretor, deram a verba e pronto. Harry Potter serve para gerar lucros, e apenas isso. Mal sabem eles quais seriam os lucros se a série fosse bem reproduzida nos cinemas, pois se da forma como tem sido feito até agora, tem dado certo, agora nas mãos de Cuarón, não vejo porque Harry Potter não ultrapassaria a marca de 800 milhões de dólares arrecadados no mundo todo. É a série de livros mais vendida, best-seller mundial, traduzido para todas as línguas (inclusive para línguas mortas), reunindo milhões de fãs no mundo inteiro. Harry Potter é sim fonte inestimável de lucros, mas seria muito melhor utilizada se a Warner ao sair de um diretor ruim (Columbus), não fosse a um pior (Newell). Só nos resta torcer por Cuarón.


  • Foto de perfil genérico Planta

    Em 16/05/2004


3711 visualizações desde 16/05/2004