Beco Diagonal ― do seu jeito sempre
10 - Casamento...

Na manhã seguinte, Amber acordou em seu quarto e viu Emily e Catherine dormindo. A menina estava com muita dor de cabeça, portanto ficou uns instantes deitada, até que se lembrou de que comprou um celular para Catherine, e que ainda não havia lhe dado da maneira especial que tinha pensado, então seus instintos foram mais fortes.
Amber levantou-se com dificuldade, colocou o Iphone no travesseiro de Catherine e com o seu celular ligou para o Iphone que claramente tocou.
- Hm... Ã ... ― Começo Catherine se despertando aos poucos - MEU MERLIN! UM SER FOI ENVIADO DO INFERNO!! SOCORRO!!!! AI MEU MERLIN, ME PROTEJA!! SEREI FIEL AO SENHOR, AI MEU MERLIN... ― Disse Catherine histericamente, quando acordou de vez, pois não conhecia um celular e assim saiu da cama amedrontada.
- Hm... Que... Isso... Desliga isso! ― Resmungava Emily.
- EMY, EMY, É O SER DO INFERNO, VAI NOS MATAR, VAMOS SAIR DAQUI, ACORDA A AMBER! - Disse Catherine em cima de Emily.
- Que? Ser do inferno? Isso é um celular! Chega, Amber, ela já acordou e eu estou com dor de cabeça! ― Disse Emily indo em direção ao celular e desligando-o ― Amber! Tá me ouvindo? Levanta! ― Continuou Emily indo para a cama de Amber que estava rindo muito e silenciosamente, enquanto seus olhos estavam cheios de lagrimas.
- Ai, eu, HAHAHAHAHAHAHAHAHA, não consigo, HAHAHAHAAHAH, aí! Minha cabeça. ― Disse Amber após sentir dor.
- Amber, deixarei está passar, pois não estou em condições. Minha cabeça está explodindo e o meu corpo está trepidando do susto! ― Disse Catherine de nariz empinado.
- Foi mal Cah, mas eu não poderia deixar passar essa.
- Bem, vamos descer e pegar gelo, para melhorar a dor. ― Sugeriu Emily.
- Mas... Assim... De pijama? ― Perguntou Catherine.
- Ah, eu não consigo nem andar, quem dirá me vestir.
- Concordo com você, Emy. ― Disse Amber e Catherine assentiu.
As três desceram as escadas indo para a cozinha.
- Aí... Minha cabeça vai explodir... ― Disse Amber.
- Aí... O meu cérebro irá saltar para fora de seus limites... ― Resmungou Catherine.
- Aí... Parece que estão martelando a minha cabeça. ― Disse Emily.
- Bom dia, senhoritas! ― Disse Sirius um pouco entusiasmado.
- Fale baixo, cachorro pulguento... Aí! ― Disse Amber ríspida. ― E por que todos estão olhando pra mim? Eu já lavei o rosto... Aí! ― Continuou Amber.
- Nossa além de ter a ousadia de me beijar, me insulta na minha própria casa? ― Disse Sirius perdendo o entusiasmo.
- T-te beijar? Tá bêbado? Velho pervertido!
- Iiii, ele contou... ― Disse Rony baixinho.
- Aí! Vou me sentar, que o assunto está ficando interessante ― Disse Catherine sentando ao lado de Harry, que, aliás, estava tendo um comportamento estranho depois do ocorrido, e assim afastou sua cadeira do lado de Catherine que percebeu o estado do menino, mas não disse nada.
- Ele contou o que? ― Perguntou Amber com muita dor de cabeça.
- Er... É que... ― Tentou dizer Harry.
- É que o que? Fala! ― Disse Amber com autoridade.
- Você beijou Sirius ontem à noite... ― Terminou Harry.
- Eu o que? Jamais! Não pode ser verdade... ― Disse Amber sentando a mesa e com uma expressão perplexa.
- A madame tentou adestrar o cão! ― Disse Catherine rindo junto com Emily. ― Aliás, Harry, dói esta cicatriz? ― Continuou Catherine colocando a mão no rosto de Harry, que se afastou na hora e todos perceberam.
- Não... ― Disse Harry olhando para o chão.
- O que houve? Estou com odor?
- Não, é que ele está com vergonha porque você o beijou ontem. ― Disse Jorge Weasley.
-Eu o beijei? Não pode ser... ― Disse Catherine caindo da cadeira, pois havia desmaiado.
- Catherine! Catherine! ― Disse Harry levantando-a ― Está bem?
- Sim? Não? Sim... Ah, irei para meus aposentos. Pode me soltar, Harry. ― Disse Catherine se levantando do chão.
- Bem que eu desconfiava das exceções de Harry... ― Disse Emily rindo junto com Amber que se esqueceu do choque e começou a rir também. ― Aliás, obrigada Hermione por ter me levado para o quarto ontem.
- Não fui eu quem a levou, Emy... ― Respondeu Hermione.
- Iai, Emy, dormiu bem? Você tá meio pesadinha... Tem que emagrecer uns quilinhos. ― Disse Dymon entrando na cozinha, junto de Cedrico e Arthur.
- Ah, eu acho que ela está com ótimas medidas em tudo... ― Disse Arthur a medindo com um olhar malicioso.
- Eu o que? Tenho que emagrecer? ― Disse Emily procurando a varinha no pijama. ― Droga, cadê a minha varinha?
- Arthur, respeite minha irmã, e sua varinha está em seu quarto. - Disse Dymon enquanto Arthur apenas sorria.
- Sendo Assim... ― Disse Emily baixinho e amigavelmente.
A menina chegou perto de Dymon como se fosse dar um abraço.
- Ah, Bom... AÍ! MERDA! ― Gritou Dymon antes que pudesse dizer bom dia, pois Emily deu um chute em seu nascimento, digamos assim.
- Se quiser viver, não cruze o meu caminho novamente! ― Disse Emily medonhamente indo em direção a Arthur. - Bom dia, Arthur. ― Continuou Emily mudando a voz e falando docemente.
- Bom dia adorável dama. ―Disse Arthur beijando a mão de Emily que logo corou e foi em direção à saída da cozinha.
- Saia da minha frente, Diggory. ― Disse Emily voltando a sua voz medonha, e assim subiu as escadas.
- Iai maninha, não vai abraçar seu irmão, não? Há quanto tempo não nos vemos... ― Disse Arthur bagunçando o cabelo de Catherine antes que a mesma pudesse sair do local, pois ficou perplexa ao ver aqueles três garotos entre eles o Cedrico e seu irmão.
- Mas é claro! Como não, Estou morrendo de saudades... ― Respondeu Catherine ironicamente, indo à direção de Arthur e assim deu um chute no nascimento do mesmo. ― Não ouse encostar um dedo em mim, pois você é fétido. ― Disse Catherine de nariz empinado saindo da cozinha ignorando o fato de que Dymon estava no chão, e passou por cima dele.
- Bom... Dia... Pra... Você... Também... ― Disse Arthur com a voz rouca, pois naquele momento sentia muita dor.
- Cathe...
- Cale-se, Cedrico! Caso contrario terá um fim igual ao de Arthur, com licença. ― Disse Catherine subindo as escadas.
Enquanto Amber olhava hipnotizada para Arthur e Dymon, resolveu tomar alguma atitude.
- Quer ajuda? ― Perguntou Amber ajudando Arthur a se levantar. ― Catherine mentiu quando disse que você era fétido... ― Continuou Amber indo ajudar Dymon.
- E a quem devo a bela honra de ter me ajudado? ― Perguntou Arthur.
- Me chamo Amber Pavlichenko.
- Prazer, Amber, sou Arthur Perucci. ― Disse Arthur beijando a mão de Amber.
- E eu me chamo Dymon Mcnold's, é uma honra conhecer uma garota tão bela. ― Disse Dymon olhando no fundo dos olhos azuis de Amber.
- Foi um prazer conhecê-los, eu não sabia que Emily e Catherine tinham irmãos... Elas nunca mencionaram... Aproposito, desculpe-me por não ter me apresentado antes.
- Ei, a Amber está se desculpando por não ter falado o seu nome antes? ― Cochichou Rony colocando-se na frente de Hermione.
- Saia da minha frente Rony, está atrapalhando a minha visão. ― Respondeu Hermione empurrando a cabeça de Rony da sua frente, pois estava fitando os garotos.
- Até você Hermione?
- Até eu o que?
- Esta caída por esses babacas...
- Q-quem? E- eu? N-não... ― Gaguejou Hermione corada
- Tá sim.
- Não estou! E com licença ― Disse Hermione corada levantando da mesa.
- Ah Hermione! Eu te esperei ontem à noite, por que não veio? ― Perguntou Arthur.
-Po-po-por que? Você ainda pergunta? Respeite-me garoto. ― Disse Hermione mais corada ainda saindo da cozinha.
- Ei! Hermione, espera! ― Disse Rony indo atrás de Hermione.
- Amber! Venha, não se misture com eles. ― Disse Catherine que havia descido, e por fim pegou no braço de Amber.
- Não, Cah, espera.
- Não, Am, eles não são do seu nível. ― Disse Catherine encarando medonhamente Arthur, e assim saíram da cozinha.
- Por que fingiram que não conhecem Amber, se a conheceram ontem? ― Perguntou Harry.
- Harry, Harry, Harry... ― Disse Arthur.
- Você é muito jovem ainda para saber cortejar garotas. ― Afirmou Dymon.
- E ontem ela nos disse que era Emily... Aliás, que história é essa de você ter beijado minha irmã? ― Perguntou Arthur indo à direção de Harry.
- Co-Como soube disso?
- Escutamos antes de entrar... ― Respondeu Dymon.
- É mesmo, que historia é essa? ― Perguntou Cedrico se intrometendo.
- Er... Am... Bem... Mione está me chamando. ― Disse Harry saindo correndo da cozinha.

No quarto...

- Por que vocês não me disseram que tinham irmãos? ― Interrogou Amber.
- Não a quero ao lado de Arthur, ele não passa de um mulherengo, sem escrúpulos. ― Respondeu Catherine.
- Exatamente, isso vale para Dymon. ― Disse Emily.
- Mas e se eu quiser? ― Disse Amber.
- Lembre-se que você tem namorado, Am.
- Hãm? Tenho? Que namorado? ― Perguntou Amber confusa.
- Como assim que namorado? ― Disse Catherine.
- Ah, Draco... ― Disse Amber perdendo o entusiasmo ao lembrar.
- Exatamente, ele sim é de seu nível. ― Disse Catherine.
- Eu discordo, ele é burro! ― Disse Emily.
- Mas, Emy, é melhor que nada! ― Insistiu Catherine.
- Pensando bem, tem razão... Mas tem o Sirius! Sabe, ele é bem legal, inteligente e sangue-puro ― Disse Emily entediada.
- É mesmo, e é de uma família de nome!
- Heyyy!!! Eu ainda posso ouvir, sabia? E parem já com isso! ― Protestou Amber corada - Não decidam o meu futuro por mim. ― Continuou ela.
Logo em seguida, elas escutaram alguém bater na porta.
- Licença, garotas, quero falar com vocês. ― Disse Molly.
- Ah... Sim, fique a vontade. ― Respondeu Amber.
- Obrigada, estou feliz por terem melhorado, mas estou muito decepcionada com o comportamento das três ontem... Saíram sem permissão, sozinhas e foram para o mundo trouxa... Eu não queria fazer isso, mas, como estão em minha responsabilidade, colocarei Cedrico, Sirius, Arthur e Dymon para vigia-las. Era só isso, com licença. ― Disse Molly com autoridade saindo do quarto das meninas.
- Você ouviu isso? ― Disse Emily.
- Sim, Arthur e Dymon vão cuidar da gente. ― Disse Amber com um sorriso sonhador.
- Não, Am, não se esqueça do Sirius e Cedrico.
- Sirius e Diggory... ― Disse Amber com uma voz medonha.
- Eu não acredito, não somos bebê para tratarem a gente assim. - Disse Emily.
- Concordo, aquele cachorro pulguento nos vigiando é o cúmulo! Bem, vou descer, preciso tomar um ar! ― Disse Amber de birra.
- Eu vou com você, preciso tomar alguma coisa, ver a cara de Dymon me deu náuseas. ― Disse Emily. ― Você vem?
- Não, estou exausta ― Disse Catherine.
- Está bem. Vamos Amber. ― Disse Emily puxando o braço de Amber. E assim as duas desceram.
- Maninha, preciso falar com você. ― Disse Arthur entrando no quarto.
- Não tenho nada para falar com você. ― Respondeu Catherine rispidamente.
- É sobre seu casamento...
- Então eu quero saber menos ainda, e não cruze meu caminho ― Disse Catherine saindo do quarto, indo para a sala de estar. - Que garoto petulante, já lhe disse que casarei com quem quiser, não com quem eles arranjar-me. - Continuou Catherine deitando no sofá, e pegando um livro que estava em cima da mesa.
A menina começou a ler, e logo depois pegou no sono e sonhou com Meg.
"Outubro, Sexta feira 13, era aniversário da Meg, todos estavam felizes. Arthur estava vindo de sua escola na Finlândia, e Catherine estava brincando com Meg:
- Meg, espere aí, vou buscar seu presente.
- Cath, não demora, tá bom? ― Disse Meg que estava muito feliz comemorando o seu 6º aniversário, com um sorriso meigo no rosto.
- Não demorarei Meg, comporte-se. ― Disse Catherine abraçando a irmã.
- Sim!- Disse Meg meigamente.
E assim foi Catherine buscar o presente de Meg em seu quarto, quando ouviu um grito. Então, a menina saiu correndo em direção aos gritos e foi ver o que havia ocorrido, e ao chegar, deparou-se com a pior cena da sua vida.
Meg estava toda ensanguentada, e embaixo dela havia uma enorme poça de sangue no chão.
- M-Meg...
- Ca... The... Ri... Ne...
- Não, Meg, não fale... ― Disse Catherine segurando a mão de Meg.
- Eu... Estou muito feliz... Eu amo todos... ― Dizia Meg com muita dificuldade e com sua voz rouca, e então seus olhos perderam o brilho, e logo depois, Meg soltou a mão de Catherine.
- Meg aguente firme, MEG! MEG! MEGAN! NÃOOOOOOOOOOOOOOOOOO! ― Disse Catherine chorando e olhando em volta do quarto.
A menina passou seus olhos em cada detalhe do aposento, quando de repente deparou-se com um garoto com o sangue de Meg em seu rosto, com capuz preto que sorriu para a mesma e saiu do local."
- NÃOOOOOOO... MEG!!!... NÃOOO... MEG... Meg... ― Dizia Catherine adormecida.
- Catherine! Catherine! Ei... ― Dizia Cedrico acordando a mesma.
- Não... Meg... Não... C-Cedrico... ― Disse Catherine ao acordar chorando, e então sem pensar a garota abraçou-o.
- Calma... Foi só um sonho. ― Disse Cedrico abraçando-a.
- Meg fará aniversário daqui a dois meses, quero ir para casa.
- Não chore...
- Eles não irão nos deixar sair daqui, Cedrico...
- Eu sei, por isso irei com você...
- Você vai comigo? Mesmo sabendo das consequências?
- Sim... Até mesmo porque, você será a minha futura esposa...
- Cedrico... Meus pais já sabem com quem irei me casar, Arthur veio falar disto hoje pela tarde comigo...
- É, eu sei... Por isso estou dizendo que você será minha futura esposa...
- Co-como assim?
- Você se casará comigo por mim e pelos seus pais.
- Ce...Dri...Co... ― Disse Catherine corada.
- Xii, não fale mais nada... ― Disse Cedrico chegando bem perto dos lábios de Catherine que correspondeu ao olhar na face de Cedrico, mas logo entrou em si e recuou.
- Ce-Cedrico!
- Aí! ― Gritou Cedrico após levar um tapa no rosto de Catherine.
- Nã-Não se aproveite da-da si-situação, Boa noite! ― Disse Catherine corada e gaguejando, e assim ela subiu para o quarto sorrindo escondido com a mão nos lábios.
- Nossa... Ela é fortinha... ― Dizia Cedrico sorrindo e passando a mão onde levou o tapa.

No quarto...
- Catherine! Até que enfim acordou. Aliás, por que está corada? ― Perguntou Amber.
- Q-quem, está Co-corada? ― Respondeu Catherine.
- Você... E por que está gaguejando também? ― Disse Emily entediada.
- E-eu Nã-não estou Gague-guejando!
- Você se sente bem? ― Perguntou Amber.
-S-sim!
- Iii Será que... ― Tentou Emily, mas logo foi interrompida por Catherine.
- Nã-não, isso não tem haver com o Ce-CEDRICO! Ele estava lá embaixo, mas não tem nada a ver com ele! ― Insistia Catherine.
- Bem, eu ia dizer, será que você pegou uma virose do mundo trouxa, mas se você diz que foi o Cedrico... ― Disse Emily rindo maliciosamente.
- E-eu não disse que foi ele, eu disse que ele estava lá, digo que ele... Eu disse isso pra você não ficar inventando besteiras.
- Ué, mas eu não disse nada!
- Você ia dizer que ele quase me be-beijou.
- Ele te beijou? ― Perguntou Amber levantando a sobrancelha.
- Nã-NÃO! ― Disse Catherine completamente vermelha dessa vez.
- Não é o que parece... ― Emily.
- Pa-parem de jogarem verde! Vou dormir.
- De novo? Mas você está desde tarde dormindo ― Disse Amber que estava séria o tempo todo.
- E-então vou beber água! ― Disse Catherine indo pra porta, mas deu meia volta. - Melhor não... Vou dormir! ― E assim ela foi pra cama.
- Ah! Fica acordada.
- Deixe, Amber, ela quer sonhar com o Cedrico... ― Zombou Emily.
- Não... Catherine... Você sabe o que Cedrico fez a Starla... ― Disse Amber séria ― Como pode cogitar a ideia de ficar com ele? Perdeu o juízo?
- Vamos mudar de assunto ― Disse Catherine.
- Como quiser... ― Disse Amber emburrada virando o rosto.
Comentários
Faça login para comentar

949 visualizações desde 31/12/1969