Beco Diagonal ― do seu jeito sempre
15 - Charlotte Starla Mcnold's.

No dia seguinte, quando Amber chegou para ao treino, ela respirou fundo e disse toda sorridente:
- Garotos, eu estou saindo do time.
- O que? - Disseram eles perplexos.
- Isso mesmo que escutaram - Continuou ela.
- Qual é, Amber? Não leve em conta o que Arthur faz - Disse Dymon.
- Ontem um balaço quase acertou minha cabeça e Fred que me salvou dele, quando era trabalho dos rebatedores da Sonserina... Então eu decidi que sou muito bonita para ficar desfigurada por causa de um balaço...
- Típico da garotinha mimada, sabia que iria desistir - Disse Arthur ― É por isso que não aceitamos garotas no time.
- Seu preconceito por garotas no time também ajudou muito, afinal... Me recuso a ficar em um time onde o próprio capitão se esquece quem é do seu próprio time, ou melhor... Onde o capitão acha que o time é apenas ele, mas enfim... Pense como quiser, não lhe devo satisfações - Disse Amber saindo no local.
Alguns dias se passaram e Emily estava sentada em seu quarto lembrando mentalmente do resumo para aula de poções, quando de repente se lembrou de Catherine e Amber. O rosto das duas passou em sua mente, eram muito parecidas apesar de Catherine agora estar morena "Será que são irmãs?" Perguntou ela a si mesma "Não... Os pais delas não mentiriam... Até porque, qual seria o sentido?" A garota caminhou pelo quarto pensando em diversas possibilidades até que resolveu ir à biblioteca.
Chegando lá, Emily procurou sobre as prateleiras algo que pudesse ajudar no caso, então achou alguma coisa muito estranha sobre o tempo em que o Lord das trevas dominava algo que falava de três garotas que tiveram seus pais mortos pelo próprio Lord, entretanto as deixou viver, pois faziam parte de uma família muito boa e podiam ser uteis futuramente. A menina continuou a procurar sobre a família, mas pouco achou.
- O que faz na biblioteca está hora senhorita, Mcnold's? - Disse a voz de alguém atrás da menina.
Emily virou-se e viu que era Dumbledore.
- Ah, desculpe diretor... Eu... É... Estava curiosa sobre... - Disse ela gaguejando.
- Sua arvore genealógica, creio - Dumbledore interrompeu a garota ao fitar o livro na mão da mesma ― Creio, senhorita Mcnold's, que a senhorita é sim sangue puro, e devo também dizer que não precisa se preocupar com os insultos feitos por Draco Malfoy, ele realmente não sabe o que diz.
Emily se assustou.
"Como ele sabia daquilo? Bem, ele é Dumbledore, né" Pensou a menina.
- Não, professor, é que eu estava pesquisando sobre a família de Amber - Dizendo isso Emily deixou Dumbledore visivelmente assustado, por assim dizer.
-Ora, minha cara... Amber Pavlichenko vem de uma ótima família, isso eu sei, apesar de ter um passado muito sombrio, digamos que ele se compara com o de Harry, se possa ser considerado pior, mas é uma pena eu não poder lhe dizer nada... - Disse Dumbledore olhando a menina por trás de seus oclinhos de meia lua - Receio também que não irá encontrar nada sobre a menina em livros algum.
- Então, Profº Dumbledore, o senhor quer dizer que o passado de Amber é tão terrível que não foi publicado em lugar algum? - Disse Emily indignada.
- Exato... E senhorita Mcnold's, não se limite apenas aos livros, às respostas para sua procura e para a de todos pode estar mais na cara do que imagina.
- Obrigada, Profº, ajudou mais que os livros - Disse Emily.
- O preço de um argumento vivo, vale mais que mil palavras em um livro. - Dizendo isso Dumbledore foi até a porta - E não fique aqui até tarde, Umbridgth está de olho, se ela te pegar receio que não será uma boa experiência ― Após tais palavras o diretor saiu da sala.
Emily assentiu e logo depois saiu da sala carregando o livro de arvores genealógicas e continuou a andar pelo corredor.
- O que faz aqui? - Perguntou uma voz arrastada praticamente ao lado de Emily.
Essa voz ela reconhecia de longe.
- Malfoy... Eu que lhe perguntou, o que um pirralho faz fora da cama? - Disse Emily ao se virar para o garoto.
- Eu tenho autorização para vistoriar os corredores, mas você... - Disse Draco balançando a cabeça.
- Draco, me poupe! Você não sabe nem o que quer dizer a palavra vistoriar e ainda acha que pode mandar em mim? ONDE HOGWARTS VAI PARAR? POR MERLIN! - Disse Emily e assim continuou andando dando as costas para Draco.
- Ei! - Draco a puxou pelo braço deixado ela de frente para ele, o que fez Emily se assustar - Não fale assim comigo, Ok? Ou vou levá-la a subsecretaria sênior Dolores...
- Cara de sapo Umbrigdth - Completou Emily - Pode me mandar, ela que tente usar veritaserum em mim ou usar aquela maldita pena, ou qualquer outra coisa, no momento em que ela pensar, ela morre, e se meu pai não fizer, eu mesma faço... - Disse Emily ― Vai, Draco, me leva até ela... Quero ver... Me leva! - A menina ergueu as sobrancelhas em forma de desafio, mas Draco nada fez ― Ótimo! - Dizendo isso ela se desvencilhou dos braços do mesmo e continuou a andar, ao mesmo tempo ouviu o barulho do andar de Draco vindo a suas costas o que fez a mesma parar. - Porque está me seguindo?
- Por que... Eu... Am... Tinha uma pergunta pra fazer a você... Já faz muito tempo, mas... Você e eu sempre brigamos antes de eu fazê-la...
- Então me faça ela amanhã! Não estou hoje com um pingo de paciência, ainda mais com você - Disse Emily e voltou a andar, mas mesmo assim conseguiu ouvir o murmúrio de Draco que disse "É sempre assim!" e depois se calou.
De manhã, Emily se levantou, se trocou e foi para o salão principal. Ao chegar ao salão principal, como Emily não encontrou Amber nem Catherine ela comentou com Hermione o ocorrido na biblioteca e Hermione insistiu que era melhor Emily checar os livros novamente, porque segundo ela, alguém havia publicado algo mesmo que fosse imperceptível.
Já que era Halloween, não teriam aulas, então a menina passou o dia todo no Corujal lendo o livro e quando finalmente o acabou ainda era cerca de cinco horas da tarde, ela olhou pela janela e desejou que sua irmã pudesse estar com ela em Hogwarts, porque ai sim seria uma boa festa de Halloween ia ser um "Doces ou travessuras perfeito." Mas nem tudo é como desejamos pensou ela.
- De novo sozinha? - Perguntou Draco que acabara de irromper pela porta.
- Não estou a fim de brigar com você agora, Malfoy, por favor, me deixe em paz!
- Sim - Disse ele - Depois que responder minha pergunta - Disse ele enquanto se sentava ao lado de Emily no chão.
- Ok, o que é que você quer? - Perguntou Emily fitando o garoto.
- Quero saber... Como... Bem... Quero saber como Starla morreu...
- O que? - Perguntou Emily perplexa.
- Entendo se não quiser falar do assunto.
- Não é isso... É que... Porque você esta me perguntando isso? - Perguntou Emily.
- Fiquei curioso, posso ser burro, mas a historia que Amber me contou estava incompleta e além do mais, você é a protagonista, né? Pode me contar melhor que ela que só viu o final...
Emily encarou Draco com surpresa, suspirou e começou a falar.
- Era dia 30 de outubro o aniversário de Starla...
- Espere! Sua irmã nasceu na véspera do Halloween? - Perguntou Draco.
- Sim... Você vai me ouvir ou vai ficar interrompendo? - Perguntou Emily.
Draco levou a mão até a boca e fez movimento como se estivesse trancando uma porta.
Emily riu.
- Eu estava na sala com meu irmão, ele estava olhando pela janela enquanto eu desenhava em um bloco de notas...
A cena se repetiu na cabeça de Emily:
[i:1slc0307]" - Emily... - Disse Dymon o irmão da garota.
- Que foi? Eu estou desenhando um cavalo com asas, Dym - Disse a menina fazendo bico.
- Que tal irmos à festinha particular de Starla? - Perguntou o menino com ar de malicia.
- Dymon, é particular... Você não sabe o que isso quer dizer? - Perguntou ela.
- Sei... Mas eu quero dar os parabéns a ela, vem comigo? - Perguntou o menino.
- Ai, tinha que ser você pra me tirar do meu desenho, espera eles voltarem e eu desço com você - Dizendo isso Emily ouviu o portão de sua casa sendo aberto e vários garotos entraram acompanhados por uma menina alta para a sua idade, com cabelos vermelhos e extremamente brilhosos. Podia-se dizer que Emily e Starla eram gemias apesar da grande diferença de idade, os olhos das duas eram do mesmo verde o tom de sua pele o mesmo, eram muito parecidas, mas apenas na aparecia, pois Emily era um tanto mais meiga e carinhosa que a irmã cujo o maior prazer era ver os outros se ferrarem, porem as vezes demonstrava certo apresso por certas pessoas. Starla era o tipo de garota que você "Não arrumaria briga" assim era conhecida a tal.
O grupo de amigos seguiram novamente para o porão da casa sem nem notar a presença de Dymon e Emily.
- Vamos? - Perguntou Dymon.
- Não... Você viu como estava aquele garoto? Não quero participar disso - Disse Emily voltando a desenhar seu cavalo com asas.
- Emily... Por favor, vamos, vai ser divertido, você vai ver Starla fazer algo que ela nunca fez... - Disse Dymon em tom convidativo com seus olhos verdes.
Dymon era irmão gêmeo de Starla, então evidentemente, os dois se pareciam muito, não só fisicamente, como também o jeito de ambos eram muito iguais e isso causava muitas brigas na maior parte do tempo.
Os olhos de Dymon brilhavam cheios de expectativas, era um brilho esquisito que ao mesmo tempo em que assustou Emily, a encorajou a seguir o irmão até o andar de baixo.
- Eu vou... Mas vai dar merda, como diz a Starla - Disse ela.
Dymon riu apesar do baixo palavreado da irmã mais nova.
- Olha o que ela ensina para você, se mamãe ouve isso, lhe mata - Disse Dymon puxando a irmã para as escadas de vidro da casa.
No andar de baixo, se encontravam Starla e seus amigos. Emily e Dymon ficaram quietos por um tempo ouvindo a pequena conversa do grupo:
- Ah! Francamente! Lize, que desafio ridículo! - Disse uma garota ao canto que estava com uma toca na cabeça.
- Ridículo é a sua cabeça careca, Marian - Disse Starla com uma gargalhada - Pelo menos ela teve a coragem de fazer o desafio!
Emily riu baixo da piada da irmã, mas mesmo baixo fez com que todos na sala prestassem atenção nela.
- Dymon, o que está fazendo aqui? E ainda com Emily! - Disse Starla vermelha.
- Ora, maninha, eu queria participar das suas palhaçadas - Disse ele.
- Francamente, sai daqui! - Disse Starla apontando a porta.
- Não! Eu quero jogar! Ou quer que eu mande uma coruja para mamãe? - Perguntou Dymon ameaçador.
- Está bem... Emi, você não quer? - Começou Starla.
- Não... Eu quero ver vocês jogarem de verdade ou consequência... - Disse a pequena com a mesma cara de maldade de Starla enquanto zoava a amiga Marian.
Todos na sala riram.
Starla estava tão perplexa que não disse nada.
- Ok... - Disse Dymon sentando-se no chão.
- Muito bem, espertinho - Disse Starla - Me desafie, que eu já estou ficando entediada... - Disse a garota.
- Ok... Eu quero que...
- Não, não, não Dymon! É eu te desafio a... - Disse Starla.
- Ok! Eu te desafio a fazer uma brincadeirinha de mau gosto com a turma do Cedrico - Disse Dymon.
- O QUE? ESTÁ LOUCO? - Perguntou Starla assustada.
- Que? - Perguntou Dymon espantado - Qual é? Está com medo, Charlotte Starla? Como se você não tivesse feito coisa pior, provocar pivetes deve ser muito fácil - Disse o menino com arrogância.
- Mais é claro! Desde que você não tenha que provocar a turma mais perigosa do condomínio - Disse Starla com sarcasmo - E mais uma coisa, usa mais uma vez meu nome inteiro e eu te arrebento!
- Ué, pensei que você era a rainha do jogo, olha, se você não fizer, eu faço, mas você vai ter que raspar a cabeça... - Disse Dymon sorrindo sombriamente.
- Muito esperto você... - Starla levantou-se - Vamos! Ou vocês iram ficar ai parados?
Todas a seguiram. Emily ficou ao lado de Dymon o tempo todo, quando estavam no meio da rua Starla pediu para que Emily viesse com ela, e assim a mesma o fez.
- Aonde vamos, Star? - Perguntou à pequena.
- Conhecer uma amiga minha que eu já devia ter lhe apresentado, Sabe, Emi, ela tem a sua idade, vai gostar dela. - Disse Starla enquanto caminhavam.
Após um tempo elas chegaram perto de um grupo de meninos, o que fez Emily imediatamente perceber que algo de ruim iria acontecer.
- Ei! Pivetes - Disse Starla - Soube que andaram roubando uma loja de trouxas, como foi? Divertiram-se?
- Ora... Ora... Ora... - Disse um menino com um capuz preto - Se não são as Mcnold's... Saiu do seu castelinho de vidro, Starla? O que faz aqui?
- Vim aqui para bem... Pedir-lhes... Não! Pedir não, exigir que me deem metade da grana que conseguiram - Disse ela.
Emily franziu o cenho, pois elas não precisavam de dinheiro, eram ricas e também tentava entender do por que Cedrico havia feito tal coisa, era rico também.
- Gatinha, não começa... - Disse o mesmo menino de capuz.
- Não me chama de gatinha, Ok? Eu estou falando serio - Repetiu a menina.
O Garoto chegou perto da mesma e colocou a mão em seu queixo.
- Ou o que você fará? - Perguntou o mesmo.
- Eu contarei a mamãe de vocês...
- E como fará isso de boca fechada? - Perguntou o menino.
E então o menino pegou Starla pelo pescoço e a jogou no chão."[/i:1slc0307]
- O resto da história você já conhece. - Disse Emily que olhou para Draco, que aparentemente estava perplexo.
- Não acredito... Isso é real? - Perguntou Draco.
- É, é sim, e é por isso que não me dou bem com meu irmão, pois o culpo - Respondeu Emily de forma doce o que era meio estranho.
Do lado de fora Amber e Catherine que procuravam Emily ouviram a voz da amiga pelo lado de fora da porta e a entreabriram para ver com quem ela conversava.
- Draco? - Perguntou Amber - Não acredito nisso...
- Eu disse que eles iam acabar se casando - Riu Catherine.
- Olha só como ela olha pra ele - Disse Amber - Está ai um dos motivos para eu terminar com ele.
- Isso é... - Disse Catherine.
- Vem, Cah - Amber entrou pela porta do corujal fazendo Draco e Emily se assustarem.
- Nossa! Até parecem que estão cometendo um pecado - Disse Amber - Vocês gostam de se isolar ou estão de segredinhos?
- Nada disso, Amb... Draco queria me fazer uma pergunta - Disse Emily visivelmente corada.
- Ah... E essa pergunta levou o fim da tarde toda? Sabe que horas são? - Perguntou Catherine.
- Não... - Responderam os dois.
- 10h - Respondeu Amber e Catherine juntas.
- Er... Am... Bem... - Disse Emily constrangida.
- Bem? Continue, Emily! - Disse Catherine a encarando.
- O que? Acham mesmo que eu passaria tanto tempo com uma ameba se não fosse realmente importante? - Perguntou Emily.
- Estava demorando... - Disse Draco em tom de sarcasmo.
- Achamos... - Disse Catherine ― Alias, não achamos, temos certeza! Pois você esquec...
- Ele me perguntou algo importante, ok? E eu fui educada em responder!
- Ok, senhorita, Mcnold's - Disse Amber com a voz carregada de sarcasmo - A propósito, seu namorado estava te procurando - Continuou Amber.
- Am... Que namorado? Ah o Daniel! - Disse Emily se lembrando do fato de ter um namorado.
- É, o Daniel - Disse Amber segurando o riso.
- Eu vou atrás dele - Dizendo isso Emily ia se retirando quando ouviu a voz de Draco ao fundo.
- Vou com você - Disse ele. Amber e Catherine o olharam estranho - O que? Ela é da minha sala comunal, né? Eu também preciso ir para lá - Disse Draco.
Emily riu enquanto as duas ainda olhavam abismadas Draco e Emily se afastarem.
- Amber... - Disse Catherine - Ele não é seu namorado? Ele deveria lhe acompanhar, não?
- Sim... Mas e dai? Ele é uma ameba mesmo - Disse Amber dando de ombros ― Dá pra acreditar? Ela se esqueceu...
- E se ele lhe traiu com Emily? - Perguntou Catherine.
- Eu confio em Emily, e eu preciso terminar com ele! - Disse Amber como se não se importa-se com aquilo - Que péssima amiga eu sou...
- Por que você é uma péssima amiga?
- Por que Emily gosta dele e eu sou a namorada dele, entendeu?
- Ah compreendo... Mas a péssima amiga da história é ela, pois hoje é Halloween, é o meu e o seu aniversário e ela nem lembrou...
- Eu sei... Mas eu não me importo com isso ― Disse Amber evidentemente mentindo.
- Não? Amber Pavlichenko, eu lhe conheço, e sei muito bem que você está chateada com isso.
- Bem... Afinal, ontem foi aniversária de Starla, talvez ela tenha se esquecido por causa disso...
- Idai? Ela como amiga deveria dar mais valor a nós! - Disse Catherine batendo o pé
- Vamos para o salão comunal antes que a cara de sapo nos pegue - Disse a Amber em tom de deboche tentando esconder o seu desapontamento.
Comentários
Faça login para comentar

855 visualizações desde 31/12/1969